Fanon e a Negritude no centro do debate no CyberQuilombo

Segunda-feira, 06 de abril, recebemos o professor do Departamento de Estudos Sociais História e Geografia da Faculdade de São Bernardo, Deivison Nkosi.  Deivison que é docente da disciplina História da Cultura Afro-Brasileira e Indígena faculdade, comandou o debate sobre o conceito de negritude no ultimo encontro do CyberQuilombo.

A problematizações foram feitas a partir das ideias de Frantz Fanon, psiquiatra negro, martinicano que foi enviado para a guerra da Argelia para tratar dos soldados franceses e certo tempo depois nessa situação decidiu mudar de lado e terminou a guerra empunhando armas para lutar ao lado dos argelinos na guerra de independência contra a França.

Fanon, que escreveu uma série de artigos e livros levantando a questão da colonização no pensamento dos negros, entre eles, Pele negra, mascaras brancasOs condenados da Terra, suas mais famosas publicações, era crítico quanto aos efeitos que as ideias do movimento de negritude poderiam gerar a longo prazo no pensamento dos negros, pois essas ideias se preocupavam excessivamente em enaltecer todas as virtudes que o homem branco depreciava no negro.

Para Fanon, tais ações reforçam as diferenciações criadas pelos brancos a fim de delimitar o campo de atuação dos negros, como a ideia de que o negro é emoção, é dança, é sexo, enquanto o branco é razão, é ciência, é matemática.  Ao passo que o negro começa a incorporar essas ideias ele passa também a valorizar essas como suas únicas virtudes e se delimita nesses campos de atuação. Ideias totalmente renegadas por Frantz Fanon que não via especificidades nas capacidades dos negros ou dos brancos.

Embora tenha dedicado sua vida a combater o racismo e a defender a emancipação do pensamento, Fanon não era um afrocentrista, mas sim um humanista. Considerava que todos os seres humanos são  dotados de todas a possibilidades.

11136654_804877346228100_1671547014991813774_n
Deivison Nkosi, durante o encontro do CyberQuilombo, 06 de abril

 

Uma opinião sobre “Fanon e a Negritude no centro do debate no CyberQuilombo”

  1. Este encontro com Deivison Nkosi foi maravilhoso, conhecer o pensamento de Fanon nos levou ao aprofundamento sobre as dimensões da colonialidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *