Todos os post de Jonaya de Castro

labRosalux

A Fundação Rosa Luxemburgo, em parceria com o labExperimental convidam para o labRosaluxemburgo 2017. O laboratório será uma experiência com quatro aulas sobre a atualidade do pensamento de Rosa Luxemburgo.

Durante os movimentos Occupy mundo afora (2011), as jornadas de junho (2013) e a ocupação das escolas secundárias no Brasil (2016) vivemos “um momento Rosa Luxemburgo”. Por quê? Uma ideia central do seu pensamento é a de que a emancipação dxs oprimidxs, quer seja de classe, gênero, raça ou sexualidade, só pode ser fruto da ação autônoma das próprias partes interessadas. A liberdade não pode ser outorgada e sim conquistada. Para Rosa, não há sociedade livre sem pessoas livres, não manipuladxs, seja por lideranças políticas, mídia, propaganda, ou, no plano individual, por suas paixões e fantasmas.

O laboratório será composto de 4 aulas:

aula 1 – 22 de setembro das 19 as 21h30
aula 2 – 29 de setembro das 19 as 21h30
aula 3 – 06 de outubro das 19 as 21h30
aula 4 – 17 de outubro das 19 as 21h30

Inscrições para participar presencialmente para pessoas de São Paulo – 12 vagas – e acontecerão na sede da Fundação Rosa Luxemburgo no bairro de Pinheiros, em São Paulo.

Inscrições para participarem online para pessoas de outras cidades e estados do Brasil e países da América Latina, desde que entendam português – 12 vagas

Após as inscrições entraremos em contato com os selecionados para uma breve conversa online.

AS INSCRIÇÕES VÃO ATÉ 15/09 E O RESULTADO SERÁ PUBLICADO NO DIA 18/09.

Infos: lab@labexperimental.org

Gestão do Caos

Palestra Gestão do Caos e Remixologia em Santa Catarina 

Gestão do Caos, ou, como a gente continua produzindo arte e cultura mesmo em tempos onde ser artista é um ato de ativismo! Agora em Julho, a palestra/conversa nos Sescs

FLORIANÓPOLIS
20/07 (qui), às 19h30: Teatro do Sesc Prainha – Travessa Siryaco Atherino, 100, Centro (48) 3229-2200

LAGUNA
21/07 (sex), às 19h30: Laguna – Cine Teatro Mussi – Rua Engenheiro Colombo Machado Salles, s/n, Centro Histórico (48) 3644.0152

ITAJAÍ
22/07 (sáb), às 19h30: – Teatro do Sesc em Itajaí – Rua Almirante Tamandaré, 259, Centro (47) 3249.3850

JOINVILLE
23/07 (dom), às 19h30: Teatro do Sesc em Joiville – Rua Itaiópolis, 470 – Bairro América (47) 3249.3850

JARAGUÁ DO SUL
25/07 (ter), às 19h30: Jaraguá do Sul – Teatro do Sesc em Jaraguá do Sul – Rua Jorge Czerniewicz, 633 (47) 3275.7800

LAGES
27/07 (qui), às 19h30: Lages – Centro Cultural Vidal Ramos Rua Vidal Ramos Júnior, 152, Centro (49) 3222.3936

CHAPECÓ
28/07 (sex), às 19h30: Chapecó – Teatro do Sesc em Chapecó – Rua Brasília, 475D, Jardim Itália (49) 3319.9100

Parte 1 – modelos de organização

  • PESSOAS – o que faz pessoas acreditarem e se engajarem em experiências culturais e artísticas?
  • DINHEIRO – como planejar um financiamento misto para cada projeto não dependa de apenas uma fonte, como os editais por exemplo.
  • Aqui a gente vai falar de articulação!

Parte 2 –  Ocupação do espaço público

  • INTERNET – A internet é um espaço público?
  • ESPAÇO PÚBLICO – Aproveitamos ao máximo o que os recursos públicos nos oferecem? Praças, parques, teatros públicos?
  • Aqui a gente vai conversar sobre ecossistema da cultura e suas potencialidades

Parte 3 – Mídia Livre

  • GERAÇÃO DE CONTEÚDO ONLINE – sua obra produz debate e reverbera?
  • A comunicação pode ser obra de arte?

Parte 4 – Remixologia

  • Como produzir conteúdos licenciados de maneira livre, creative commons, que podem ser remixados nos trabalhos culturais?
  • Também vamos estudar alguns casos de crowdfunding, isso é, de financiamento coletivo para ações culturais.

Contato: lab@labexperimental.org

Gestão do Caos no SESC CPF

Nos dias 10 a 13 de julho de 2017, realizamos no Sesc CPF o workshop Gestão de Espaços Culturais Colaborativos, que chamamos também de Gestão do Caos!

Workshop elaborado através da experiência e registro das práticas de gestão de espaços e processos colaborativos que acontecem desde 2010 no Condomínio Cultural. A gestão de um espaço independente é um desafio constante no cenário da gestão cultural, envolvendo pessoas, equipamentos, programação, comunicação, o próprio espaço físico, sua manutenção e memória. O workshop pretende revelou experiências de colaboração cultural, perspectivas de inovação em gestão e sustentabilidade. Como convidado especial, o espaço cultural Vila Flores de Porto Alegre participou do workshop.

Condomínio Cultural (SP)
Associação de artistas e pessoas interessadas em discutir formas e potencialidades de convivência. Qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP e credenciada como Ponto de Cultura, ocupa um antigo prédio na Vila Anglo Brasileira, onde também já funcionou uma escola e um hospital até o ano de 1995.

Em 2010, depois de 15 anos de abandono, o local passa a ser transformado por meio da ocupação de diversos grupos e artistas, com o desejo de transformar o um espaço em um lugar de liberdade e de fluxo, livre e aberto a criação e a experimentação, onde ideias e pessoas sejam motivadas a se juntarem, passando por diferentes formas de organização.

Associação Cultural Vila Flores (RS)                                                                       Associação sem fins lucrativos,  responsável pela programação cultural do espaço e pela articulação junto ao poder público, à iniciativa privada e à sociedade em prol dos interesses da comunidade artística e criativa do Vila Flores, buscando promover a integração com a comunidade do entorno, localizado em Porto Alegre (RS) em um conjunto, construído entre os anos 1925 e 1928 pelo engenheiro-arquiteto Joseph Franz Serrafa Lutzenberger.

http://centrodepesquisaeformacao.sescsp.org.br/atividade/gestao-de-espacos-culturais-colaborativos

Oficina de mobilização criativa de recursos

Curso elaborado através de pesquisas e experiências práticas de gestoras culturais que experimentaram variados tipos de captação de recursos através de Crowdfunding, Matchfunding, relação com fundações internacionais e outras possibilidades que fogem dos tradicionais editais e leis de incentivo.

QUANDO?

Dias 17 e 17 de janeiro – SESC CPF/ São Paulo – REALIZADO

Dia 10 de maio – Condomínio Cultural – SP – REALIZADO

Dia 24 de junho – Condomínio Cultural – SP – ABERTO

 

Nesse link a pesquisa sobre Matchfunding para download:

Matchfunding

O desafio no cenário de inovação em captação de recursos é uma constante no dia-a-dia do gestor cultural, onde Crowdfunding e Matchfunding são modalidades que crescem no contexto nacional e internacional, e que são ainda pouco exploradas pelos financiadores brasileiros.

TEMAS ABORDADOS

Prática e Conteúdo

Captações tradicionais e alternativas

Onda Colaborativa e Captação Coletiva

Crowdfunding e Matchfunding

Criatividade na forma de ver um projeto

Pré produção e pós produção também são recursos

Gestores culturais influenciam patrocinadores

Leis de Incentivo

Redes de Contato

Comunicação para sustentabilidade

Planejamento e comunicação são a base para provocar encontros, diálogos e novas construções no campo da colaboração cultural e também são abordados.

PÚBLICO ALVO

Produtores e gestores de projetos culturais, sociais, educativos, ativistas e ambientais.

METODOLOGIA

É baseada em apresentações de casos práticos que subverteram as lógicas mais tradicionais de captações de recursos e obtiveram sucesso. Assim, após os casos, são apresentados os conceitos por trás de tais experiências, de forma a proporcionar um aprendizado mais dedutivo, menos expositivo e unidirecional. A troca de experiências, portanto, é estimulada durante todas as etapas, já que o público alvo costuma trazer bagagens pessoais que complementam o conteúdo, e possibilitam um coaching colaborativo entre os projetos da turma. Duas atividades práticas visam amalgamar o conteúdo do dia, de maneira prática e útil após o término da formação.

A principal meta da atividade é fazer com que os projetos sejam olhados de uma forma ampliada, criativa e atrativa para diferentes fontes de recursos.

 

JONAYA DE CASTRO

Gestora cultural e idealizadora do labExperimental.org, coautora do Guia “Inspirador” com o Instituto Goethe e MinC e da publicação “Matchfunding, Captação Criativa”, financiada via PROAC de Economia Criativa da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo.

DANIELA TEIXEIRA

Foi gestora cultural do movimento Pimp my Carroça, e coautora da publicação “Matchfunding, Captação Criativa”, financiada via PROAC de Economia Criativa dSecretaria de Cultura do Estado de São Paulo. Trabalhou na Secretaria de Economia Criativa do Ministério da Cultura.

MAIS INFOS

lab@labexperimental.org

Workshop Inspirador 1.2

Como remixar bicicleta, reciclagem e comunicação colaborativa em um projeto sustentável?

Três dias de produção cultural com Lorena Vicini, do Instituto Goethe, e Jonaya de Castro, do labExperimental, no Condomínio Cultural, 24, 25 e 26 de abril.

O Workshop “PRODUÇÃO CULTURAL : DÁ PRA FAZER DIFERENTE? é baseado na publicação INSPIRADOR de produção cultural de iniciativa do MinC e Goethe Institut, sobre o planejamento de projetos pensando de forma colaborativa e prática. A pesquisa foi publicada em 2015 e esse ano sai a versão 1.2 em inglês com atualizações internacionais 🙂 que será publicada em maio.

http://condominiocultural.org.br/2017/03/inspirador-1-2/

Ou é mídia ou é livre!

A videoaula de Paulo Markun, jornalista e ex-presidente da TV Cultura, propõe uma reflexão sobre o alcance das alternativas de comunicação, que chamamos de mídia livre.

“Não basta a criatividade, você precisa ter meios de apuração da informação… o wikileaks é um bom exemplo de disrupção desse processo, justamente porque a possibilidade de distribuição da informação livremente faz com que ela seja subversiva… ”

“Nos estamos vivendo um outro problema que é a concentração de audiência em poucos plataformas, como o Facebook… e que são plataformas que são grandes concentradoras de recursos mas não aplicam esses recursos na produção de conteúdo…”

#CYBERQUILOMBO
É um curso de formação livre que remixa cultura digital e africanidade, e investiga e aplica intervenções criativas em ambientes educacionais no tema africanidades e relações etnico raciais, além de produzir conteúdos digitais, voltados para o aprimoramento de professores e estudiosos em geral, a cerca do tema Africanidades.
Queremos facilitar a aplicação da lei: 10.639/03 , assinada e promulgada em 2003 que define que a temática afro-brasileira é obrigatória nos currículos dos ensinos fundamental e médio, pretendemos, a partir das oficinas e intervenções promovidas pelos oficineiros participantes do CyberQuilombo, aplicar pílulas de ações dentro das escolas que promovam reflexões sobre a importância da participação do negro na nossa sociedade.

Inscreva-se no canal do youtube para receber os próximos vídeos: youtube.com/labexperimentalorg

videoaula “Introdução ao pensamento de Frantz Fanon”

“(…) Não basta apenas eu mudar a minha visão de mundo para que eu deixe de ser alienado, é preciso mudar o mundo. Porque para ele (Fanon) a luta não é só uma luta de ideias, é uma luta prática.”

videoaula: “Introdução ao pensamento de Frantz Fanon”, com o doutor em sociologia e integrante do Grupo Kilombagem, Deivison Nkosi

Inscreva-se no canal nosso para acompanhar os lançamentos:youtube.com/labexperimentalorg

workshop cyberquilombo março

As INSCRIÇÕES vão até 13 de março de 2016 no link

RESULTADO SERÁ PUBLICADO no dia 14 de março de 2016

O edital é destinado a interessados em desenvolver habilidades de arte-educação, educomunicação e processos colaborativos no tema “Africanidades”, em conjunto com adolescentes, jovens e adultos em escolas e centros culturais.

Serão selecionados 20 inscritos (10 em São Paulo e 10 em outras cidades do Brasil), que desenvolverão o workshop com treinamento da equipe do LabE. Podem se inscrever para o processo de formação maiores de idade. O workshop é gratuito.

Dia 16.03.16, WORKSHOP PRESENCIAL em SAO PAULO, das 18 as 22h, nos quais será discutido quatro eixos temáticos – modelos de organização, ocupação de espaços públicos, mídia livre e remixologia – que fazem parte do laboratório de criatividade e cultura digital e conteúdos da temática afro que contextualizam os participantes e auxiliam a pensarem a melhor forma de gerar uma ação comprometida com a importância e complexidade do tema.
DIA 17.03.16, WORKSHOP ONLINE para cidades do Brasil, das 18 as 22h, de formação à distância, via hangout, nos quais será discutido quatro eixos temáticos – modelos de organização, ocupação de espaços públicos, mídia livre e remixologia – que fazem parte do laboratório de criatividade e cultura digital e conteúdos da temática afro que contextualizam os participantes e auxiliam a pensarem a melhor forma de gerar uma ação comprometida com a importância e complexidade do tema.

A seleção se dará em 2 etapas: analise técnica das inscrições, com valorização das redações sobre as duas videoaulas (conforme formulário) e CONFIRMAÇÃO POR EMAIL ou HANGOUT com os candidatos.

Videoaulas CyberQuilombo

Mais infos:
labexperimental.org

DÚVIDA
entrar em contato com lab@labexperimental.org

Feminismo Negro e Filosofia – Djamila Ribeiro no Mulheres na Política

“É importante pensarmos no conceito político da interseccionalidade. O conceito já havia sido trabalhado há muitos anos pelas feministas negras mas em 89 a Kimberlé Crenshaw deu um nó… que é pensar em como as opressões se entrecruzam, são combinadas e que não dá pra pensarmos as categorias de formas isoladas (…) porque raça indica classe. E o racismo cria uma hierarquia de gênero, colocando a mulher em uma posição desfavorável (…) não dá pra pensar de forma separada (…) como pensar é que você pensa classe sem pensar em gênero?”, explica Djamila Ribeiro na oficina.

Feminismo Negro e Filosofia é a video-oficina de Djamila Ribeiro, ativista e mestre em filosofia, no curso Mulheres na Política.

“A gente não é vista como alguém que pode produzir conhecimento e isso é ruim pra nós [mulheres negras]. A gente não é vista nesse lugar… porque a sociedade o tempo todo nos coloca em um lugar de inferiorização, subalternidade ou no lugar da exotização. De ser a mulher boa de cama, a mulher quente ou a mulata do carnaval. Vistas por esses esteriótipos, que nada mais são do que modos de nos manter em um lugar subalterno e que também tira a nossa humanidade”, debate Djamila durante sua fala. O vídeo ainda traz diversas citações de filósofas feministas 🙂

“Fomos educadas para respeitar mais o medo do que a nossa necessidade de linguagem e definição, mas se esperamos em silêncio que chegue a coragem, o peso do silêncio vai nos afogar”, Audre Lorde.

MULHERES NA POLÍTICA

O Mulheres na Política foi um curso de formação livre do labexperimental.org, destinado a interessades em desenvolver habilidades de arte-educação, educomunicação e processos colaborativos em conjunto com adolescentes, jovens e adultos em escolas e centros culturais sobre igualdade em direito de gêneros.

mulheresnapolitica

O curso livre “Mulheres na Política” aconteceu de 17 de agosto a 20 de outubro de 2015 com 12 participantes de várias cidades do Brasil, de norte a sul.